Olá me chamo Danniel Victor e faço parte de um pequeno grupo de pessoas que ama aquilo que faz. Obrigado por visitar a minha casa e apreciar um pouco do que tenho registrado nessa aventura chamada vida. Sempre fui apaixonado por imagens desde a infância, mas foi em 2000 que decidi que a fotografia faria parte de mim. E é por isso que fotografo tudo com o mesmo carinho que você planeja. E sempre da forma mais natural possível de forma que cada imagem possa te transportar para aquele momento. Afinal sei que os momentos são passageiros mas minha missão é fazer com que eles durem para sempre.

Danniel Victor, Fotógrafo

Sigam minhas redes sociais

O que falam de mim

Começo a pensar em Danniel e me veio esse texto à lembrança:

A objetividade da fotografia é uma falácia
Erram os que acham que ela retrata o real.
O que há é que quando o fotógrafo diz:

- Olha o passarinho!

Uma ave de longas oblongas sai de dentro da câmera
com um embornal de pinceizinhos e uma paleta de cores
sobrevoa a cabeça do fotógrafo
sobrevoa a cabeça do fotógrafo
e pousa sobre seu ombro esquerdo.
De lá, pinta a cena.
Em suma, a fotografia é uma ópera de pássaros.

Chacal - Ópera de pássaros


Danniel Victor é o típico...'Faço o passarinho se você quiser!' pra te um fotão que o encante antes de colocar a cabeça no travesseiro.

Quando ainda não o tinha conhecido, lia seu nome e pensava que com essa ruma de 'enes' e 'ceis', fosse um cabra 'duns' dois metros, quadrado, furnido, afinal... um cabra com um nome todo elaborado, só podia ser artista de nariz arrebitado. Bom basta! Que nada! Danniel consegue ser simplicidade desde o puxado na maçaneta do escritório. Pode tá atendendo gente feito formiga e trata do desconhecido ao 'inxirido', do mesmo jeitinho. De primeira, você é quebrado pelo sorriso empareado de olhos cheios de satisfação. Satisfação? É! (Ele é daqueles que têm alma exposta) Como se gritassem que mais alguém o procurou pelo que ele mais gosta de fazer.

O danado vai perguntando as coisas, e quando a gente percebe, já passou a ficha sem perceber. Pronto!

Tenho certeza que foi nessa hora que ele arquitetou que ia me fazer falar num liveiro, no ensaio do pré-casamento, faldo sobre meu matuto. (Eu suando feito pano de cuscuz falando no vídeo, mas sentia meu coração ali, bem ali) Ainda lembro do meu espanto ao ver Danniel emocionado com um depoimento de dois desconhecidos. Ai que tá! Danniel já tinha sacado a ópera. Danniel sabia e absolutamente já havia sentido o que eu havia falado no vídeo, pois tem em casa tudo que a senha precisa - uma ruma de amor.

E no meu vídeo matuto o diretor ficou com os olhos rasinhos d'água. Jamais vou esquecer do dia que me foi feita a pergunta: 'O que Dalman representa pra você?'

Em toda minha vida, tenho certeza que não vou conhecer mago mais humilde, batalhador e dono dos pedidos mais pacientes e atentos. Tudo em prol das cápsulas escandalosas em papel.

Hoje sempre, sinto que acertei quando o escolhi pra fazer parte do primeiro dia mais importante e feliz da minha vida.

Danniel e suas cócegas nas mãos, sua explosão, sua vocação, sua incorrigível vontade de mostrar o que vê. Como sente. Como transmite.

E a velha sensação reflexiva em cada foto vista: Fragmentos de zoom, sentimentos enquadrados, uma coisa louca, um delírio por vez, um escândalo furtivo aos olhos.

Não importa, ele sempre vai te lembrar que carrega o dom.

Que conhece todos os passaros, e que todos os conhecem e pousam suavez no seu ombro.

Pelos planos de Deus, este deve ter sempre sua sinalização:
- Ali, Danniel.
E ele vai.

Digo isso, visto que...imagine sempre o material colhido como pedaço de poema, barulhinho bom de cenários e em tudo, GENTE.

Fico muito feliz por tê-lo conhecido. E por ter deixado ele nos conhecer. Eita mago especial.

Muito obrigado por nunca querer se mostrar resumo.

Amo ver a ternura de suas histórias reais.


Thaiza Laura